Share on pinterest
Share on facebook
Share on twitter
Share on email

(post originalmente publicado no extinto blog AleGarattoni em 2016)

É impressionante como a ansiedade, definitivamente, está presente na vida de TANTA gente nos dias atuais. Estamos nos acostumando a ser ansiosos e nem nos damos conta da quantidade de efeitos colaterais que isso traz – insônia, dores musculares, dor de cabeça e perda de memória, apenas para citar alguns da enorme lista apresentada no ótimo Ansiedade, de Augusto Cury, livro que TODO MUNDO deveria ler! Foi lendo a publicação que montei uma espécie de auto-prescrição para minha essência ansiosa em 2016…

1) Não usar aparelhos eletrônicos em excesso à noite: numa única noite em que consego seguir essa regra já sinto que durmo bem melhor – é meta fazer disso um hábito definitivo.

2) Não dormir ao lado de aparelhos eletrônicos, em especial o celular: as pessoas nem têm mais relógio ou despertador no quarto, já que o telefone celular acaba cumprindo essa e outras funções; a verdade é que com o vício ali à mão fica bem mais difícil de não entrar naquele looping de uma última olhadinha nas redes sociais na hora de fechar os olhos e/ou na mania de ler os e-mails praticamente antes de abrir o olho, o que acelera qualquer um – vale a pena comprar um radio-relógio vintage para evitar esse mau hábito!

3) Selecionar a quantidade de informação consumida: entre livros, revistas, redes sociais, links e mais links, consumimos MUITA informação diária. Muito mais do que precisaríamos consumir. O livro Ansiedade já aponta que pessoas comuns têm, hoje, muito mais repertório acumulado que grandes pensadores e teóricos tinham no século passado – e nem por isso se produz materiais mais relevantes. Fazer uma espécie de curadoria do que se vai adquirir como informação ajuda a fazer uma higiene mental que favorece a criatividade.

4) Fazer exercícios físicos ao menos quatro vezes por semana: dez entre dez pessoas que inseriram a prática de atividades físicas em suas rotinas garantem que melhora o sono, a saúde, a mente!

5) Criar rotinas e horários para atividades, sempre: ficar perdido sem saber por onde começar paralisa e traz mais ansiedade; liste suas atividades, separe as obrigações habituais em blocos definidos do seu dia (responder e-mails, responder mensagens no celular, escrever, fazer reuniões, ler…) e estabeleça rotinas em sintonia com suas metas. A produtividade e a predisposição à ansiedade agradecem.

6) Esvaziar a mente e dar pausa em estímulos, uma espécie de pré-meditação: para quem ainda tem dificuldade em aderir ao estado de meditação, simples paradas de cinco minutos esvaziando a mente já ajudam a oxigenar o cérebro; em um dia a dia rodeado por estímulos, se desligar é preciso!

Você também pode gostar de...